sexta-feira, agosto 17, 2007

Devo ter tido azar.

Mas ontem vi, pela primeira vez, um episódio inteiro desta série.
Quando acabou pensei: tanto barulho por isto?
Tragam-me o Scrubs, a Anatomia de Grey e o ER, sim?
Pronto, agora caiam-me em cima.

58 Comments:

At 10:11 da tarde, Blogger c said...

Ao primeiro só se estranha, depois entranha-se!

 
At 10:18 da tarde, Blogger Psychic said...

Eu adoro o house, mas o house é preciso entranhar um bocado. É preciso conhecer a história para se gostar realmente. A personagem está muito bem pensada e extraordinariamente interpretada por um actor inglês, de comédia inglesa, Hugh Laurie. É fantástico ver o George do Black Adder a interpretar um médico que tenta mostrar que não tem sentimentos humanos mas que é o melhor técnico e "salva vidas" que se pode apanhar.
Depois tem todo o elenco. muito bem composto e pensado. Está tudo extraordinariamente conjugado na história. Não sei que episódio viste ontem. Eu já os vi todos mais de uma vez e adoro todos.
Sim, também gosto mais da Anatomia de Grey. Mas o registo da Anatomia é outro. Tem um lado mais humano. É mais dedicado aos sentimentos dos medicos. mostra os médicos como pessoas com uma vida. O ER também é noutro registo, menos pessoal que a Anatomia de Grey, mas com mais acção do que o House (eu gosto mais do house do que do ER, mas também gosto muito do ER). E o Scrubs, bom, o Scrubs é comédia (uma excelente comédia, mas em termos médicos não tem a qualidade técnica dos outros, claro). O House é diferente de todos. É mais técnico, mais "médico" que os outros. O lado médico do House é muito interessante. As personagens estão muito bem criadas e o Hugh Laurie está fantástico a fazer de Americano, num registo completamente diferente da comédia britânica.

Não, não te caio em cima. Entendo que nem toda a gente goste especialmente se apanha a série a meio.

 
At 10:21 da tarde, Blogger Anaoj said...

Curioso, gosto do House e do Scrubs, mas a Anatomia de Grey e o ER não me dizem nada.

Cada um com os seus gostos. =)

 
At 10:40 da tarde, Blogger #nbs# said...

Mas tu és $#" ou comes "#$"% ?
House é excelente...
Temos que agradecer a este Sr. ter mudado o padrão de beleza masculina de metro-sexual para coxo resmungão e de mau feitio...
Viva o House...

 
At 10:50 da tarde, Blogger Ju said...

:) Gosto de todas. Registos diferentes. Mas House e' complicado se for apanhado so' a meio. Como ja se disse aqui, e' preciso deixar entranhar. :)

 
At 11:22 da tarde, Blogger janica said...

"cair em cima", nada.

HOUSE tem a sua graça...mas Anatomia e ER é que é. e Scrubs, vá.

verás o 2º HOUSE, o 3º, o 4º...vais achar graça e pensar..."ah...afinal...", ao fim do 6º episódio voltas a pensar "qué lá isto comparado com a Anatomia e o ER?" e o Scrubs, sim...

e voltarás tranquilamente ao teu habitat natural, sem qualquer tipo de "culpa telespectativa"

um beijo.

 
At 11:28 da tarde, Blogger marília said...

Deves ter tido azar mesmo... se te habituas à peça, depois não queres outra coisa...

 
At 11:49 da tarde, Blogger Phil said...

Bom...cair em cima??? São gostos, temos que os respeitar...

No entanto, dessas séries só pegaria no Scrubs...nenhuma das outras me agarrou...

Não sei que episódio terás visto, mas o House é sem dúvida uma série diferente...

O próprio House ou Hugh Laurie se preferires...está muito acima de qualquer actor da própria série e de todas outras referidas, estando a falar do personagem ou do actor.

Não parece, mas há uma evolução muito interessante dos personagens e quase que somos envolvidos na própria história, como se fossemos elementos daquele hospital universitário. Os casos de cada episódio acabam por ser um elemento secundário, porque o essencial está na forma como os personagens lidam com os seus próprios dramas e como encaram a vida, considerando que a referência deles é o House e a partir desse facto sabem como não devem ser. No entanto, as atitudes que consideramos "condenáveis" levam o House a uma meta...salvar a vida de pessoas. Sem o assumir, também ele tem o objectivo...chegar a uma cura para o problema dele e vê em alguns casos uma forma de atingir esse objectivo.

O House é muito mais do que isto, mas sinceramente a série só faz sentido como um todo. E se tens apanhado o episódio certo...ai ai...lembrei-me agora de um da terceira temporada...genial!!

Só não entendo uma coisa...o encanto das mulheres pelo House...porquê?????

 
At 11:50 da tarde, Blogger Phil said...

O resto, pergunta ao Markl...ele faz-te a lavagem de que precisas para gostar do House...

 
At 12:04 da manhã, Blogger Isabel Paixão said...

Ó P, ninguém te cai em cima por isso.

Mas olha, se te faz pensar, eu admito que ao início também não me despertou muita atenção. Mas é como já aqui foi dito, é com tempo, a coisa entranha-se.

O registo do Hugh Laurie nesta série é realmente extraordinário, então para quem já conhecia trabalhos dele nas comédias britâncicas com o Stephen Fry e outros reconhece que é outra coisa... é de facto um actor versátil, desde o sotaque americano a toda a "pele" de House, que deve ter um trabalhão por trás.

A obcessão dele em resolver os problemas, em acertar os diagnósticos, mesmo que isso implique correr os maiores riscos.. e as teorias alternativas que ele inventa e que depois batem certo.

Um médico completamente alienado, que finge não se importar com ada nem ninguém, mas é mesmo essa indiferença, esse "não querer saber" dos doentes, falar com eles, segurar-lhes a mão, que o faz ser tão bom. Sem entraves, a ciência médica torna-se mais clara na sua cabeça.

Dá ao senhor mais uma oportunidade, vê mais um ou dois. S então não gostares olha, paciência, gostos não se discutem e o senhor não se há-de ralar com isso =)

E meus amigos, digam o que quiserem, mas o raio do homem é giro... aquele ar de quem não se importa, barba por fazer, cabelo em desalinho, casaco e calça de ganga... até o coxear.. o homem tem charme, lá isso tem.

 
At 12:44 da manhã, Blogger nmarques said...

Todos os que citaste são muito bons, mas, caramba, dá outra oportunidade ao homem. O House é genial. Tem é um efeito perverso: dás por ti a pensar "porque é que os médicos não se esforçam tanto para descobrir qual é o nosso mal". E vais aprendendo umas coisas: um dia destes, num canal qualquer do cabo, estava a dar uma série com casos clínicos invulgares. E havia este paciente que tinha sido alvejado na perna, ninguém sabia da bala e ele tinha dores no peito. Dei por mim a pensar, influenciado pelo House: é óbvio que a bala entrei na corrente sanguínea e, por algum processo, foi parar lá acima. E não é que dois minutos depois faziam um raio-X ao peito do homem e a bala lá estava? :)

 
At 12:58 da manhã, Blogger casimir_pulaski said...

Já muito foi dito nestes comentários e poderás tirar as tuas próprias conclusões mas acompanho muito do que se vai fazendo na ficção televisiva norte-americana e, tirando obviamente as séries dos canais por cabo como a HBO ou a Showtime que apresentam produções de outro nível, não vejo outra série nos canais abertos americanos com a qualidade de escrita, guião, dialogos de House.

Aconselho-te o episódio "Autopsy" da 2ºtemporada que é apenas um exemplo dos muitos episódios perfeitos da série. A 3º temporada, apesar de algo inconstante, está cheia deles.

Quanto ás outras séries vou apenas falar dos dramas. Também gosto de Greys Anatomy apesar de não encontrar comparação possível com House. Penso que faz um excelente papel no que se propos: é uma série sobre relações. House nunca o será. House é uma espécie de CSI da Medicina mas com um desenvolvimento das personagens muito mais analitico, logo muito mais interessante. Greys corre, no entanto, o sério risco de se banalizar. Depois de uma 2º temporada quase perfeita, a 3º é fraca.

ER sinceramente penso que já teve o seu tempo. Acompanhei as primeiras temporadas mas depois do aparecimento de outros dramas muito mais arrojados acabei por me desinteressar. Acho que até aquela série espanhola "Hospital Central" consegue supera-la em alguns aspectos. Já há muito tempo que não consigo ver um episódio completo da série. Parece-me sintomático.

Pedro, gostos são gostos e eu respeito os teus. Alías acho fantástico que cada drama médico seja diferente dos outros para assim se chegar ao gosto de todos. Só te peço para não desistires de House porque nesse campo específico parece-me que está num patamar superior, muito superior!

abraço

 
At 1:50 da manhã, Blogger anchorite said...

Sou suspeito porque gosto das quatro, se bem que o ER já me aborrece um pouco, MAS não podemos estar a comparar alhos com bugalhos, lá porque são séries com hospitais não se pode com umas com as outras. Um episódio do House muitas vezes anda à do volta mesmo: "coisa fora do normal, andar ali à volta uma e duas vezes e depois é uma coisa aparentemente banal e fica tudo resolvido", se bem que na 3ª série tem melhorado; seja como for o ponto forte da série série anda à volta da personagem do House, e aí é imbatível.

 
At 2:17 da manhã, Blogger FMSG said...

Oh Pedro...

A pergunta que se impõem, a verdadeira pergunta é a seguinte:

Mas tu já viste o Boston Legal????

Isso sim... isso é que é uma série de enorme qualidade!!

Denny Crane!! :)

 
At 7:32 da manhã, Blogger Amar Perdidamente said...

atão ??? assim??? eu gosto da irreverencia dele, do desafiar, da arrogancia, da insolencia, hehehhe

 
At 10:01 da manhã, Blogger Just a blog said...

Eu gosto de todos mas o que conheço menos é a Anatomia de Grey em grande parte por culpa da RTP por transmitir 1 semana e na semana seguinte já não e depois dão 2 ou 3 episódios seguidos, e caso para dizer entre os 3 canais generalistas devem fazer competição qual deles trata pior os telespectadores, felizmente tenho Fox e de "graça" sem pacotes como os Srs da TVCabo. Mas como todas as séries existem épisodios melhores que outros podes ter visto 1 menos bom e se continuares a ver repara que quase de épisódio para épisódio a perna "doente" vai alternando, segundo já confessou o actor Hugh Laurie fez para "irritar" um pouco os produtores.

 
At 10:27 da manhã, Blogger eu said...

Não acredito??? Pedro o House é a melhor coisinha que dá na TV! Acredita que foi muuuuuuuuuuuuuito azar!

 
At 10:48 da manhã, Blogger Tiago said...

House é muito bom.
Mas a melhor serie de todas ainda não deu cá em Portugal...

Procurem por "Dexter" ;)

 
At 11:37 da manhã, Blogger Paulo said...

Pois... então e que tal ires ver a série desde o primeiro episódio? Compreendo a tua reacção, mas quando comecei a ver a 1ª temporada, nunca mais larguei o vício...
Experimenta!

 
At 12:31 da tarde, Blogger joao said...

House é excelente, tens k ver mais episodios e depois certamente que a tua opiniao irá mudar.

 
At 12:35 da tarde, Blogger blimunda sete luas said...

Percebo-te perfeitamente. Mas acho que a falácia está em comparar o House com séries em que os aspectos médicos são tratados de forma séria, como é o caso do ER, e um pouco menos na Anatomia de Grey.

O House é viciante, mas não tem nada a ver com medicina. Tem a ver com a personagem. Não existem médicos assim (eu pelo menos espero que não!), e já apanhei duas ou três coisas naqueles tratamentos e etc. que não batem nada com nada. É que a malta a ver o ER também aprende umas coisas!

Só que o House tem aquela arrogância fascinante, se um dia destes quiserem fazer uma série sobre uma equipa de futebol, podem-lhe chamar "Mourinho".

Eu gosto do House porque as coisas que ele diz são de tal maneira arrogantes que me dão vontade de rir. Mas de resto, a pessoa aparecer no hospital constipada e a primeira coisa que te fazem é uma punção lombar, tenham dó!...

 
At 1:18 da tarde, Blogger BlueAngel said...

Aconteceu-me exactamente a mesma coisa quando assisti ao meu primeiro episódio House. Também me perguntei: porquê tanto barulho à volta deste homem? Passado uns tempos vi outro e gostei um pouco mais e aos poucos até comecei a apreciar. Não sou espectadora regular (se fosse a Grey ou o ER, isso sim, não perderia um que fosse), mas se passo por um episódio já fico a ver. Como alguém disse aí mais acima parece-me que o House primeirto estranha-se e depois entranha-se, agora quanto tempo demora a entranhar não sei, mas comigo aos poucos está a resultar. Confesso que até consigo preferiri o "Hospital Central" que dá no AXN.:-) Mas que é estranho é, porque eu adoro séries de médicos.

 
At 1:28 da tarde, Blogger Gonçalo said...

És a primeira pessoa que concorda comigo! Adoro a anatomia e não posso nem ver o house, pq é sempre a mesma coisa. Vai sempre dar aquela situação "damos-lhe isto, se ele morrer eu tenho razão, se não morrer o não sei quantos tem razão". Entretanto há sempre um tumor( ou então mesmo que não haja eles suspeitam que haja).

www.oito-ou-oitenta.blogspot.com

 
At 2:02 da tarde, Blogger dyktus said...

Um episódio não é suficiente. Vê mais dois ou três, e perceberás como são divertidos!

 
At 2:18 da tarde, Blogger Marisa said...

Gosto do House, mas prefiro a anatomia de grey!

 
At 2:19 da tarde, Blogger Little Miss Starlight said...

Sou agarrada na Anatomia, tal como já fui no ER e no Scrubs, em tempos. House é para ver de vez em quando...*

 
At 2:38 da tarde, Blogger Kel said...

Confesso que não sou assídua da série, nem de nenhuma série em especial. Mas não acho que o House seja assim tão mau. Até acho uma certa graça ao homem ;)

 
At 2:43 da tarde, Blogger Kel said...

http://qualquer-coisa-de-bom.blogspot.com/

 
At 3:56 da tarde, Blogger Beguinha said...

Acima de tudo, a Anatomia de Grey usa a metáfora das cirurgias para falar da vida. Das vidas de todos nós. E, por isso, é tão fácil deixarmo-nos contagiar.

 
At 5:48 da tarde, Blogger Pedro said...

Tu não andas bem da cabeça pá...
Primeiro pedes o Paulo Ferreira agora falas mal do House???

As férias fazem-te mal pá...

House é simplesmente o melhor personagem de qqr série/filme sobre medicina e, quiçá, um dos melhores personagens de sempre. A série é uma série como qualquer outra sobre médicos e doenças, mas aquela personagem, brilhantemente interpretada pelo brilhante Laurie é do melhor q já se viu.

A sério Pedro, vê mais uns qts episódios, aliás, compra a série em DVD e aposto o q quiseres como ficas fã!!!

 
At 5:55 da tarde, Blogger Red_Coast said...

Pedro, eu também partilho a tua opinião, embora não desgoste totalmente da série.

Mas o q está a dar é mesmo Mestre Alves!!
Passa no meu blog: WWW.SEMGAS.BLOGSPOT.COM,
e chora de tanto rir com esta verdadeira personagem da tv do norte!!
Aquele abraço.

 
At 7:44 da tarde, Blogger FireInTheWater said...

E.R. nos seus tempos áureos (com o núcleo "duro", chamemos-lhe assim) bate qualquer série no meu ponto de vista. Mas qualquer das séries que mencionaste é boa num determinado ângulo, são todas algo diferentes e, por isso mesmo, dificilmente conseguiremos consenso quanto a qual será a melhor =)

 
At 8:10 da tarde, Blogger Ricardo said...

Alguém aqui disse que o house é sempre a mesma coisa. Pois para mim é a única série de médicos diferente, as outras é que são todas a mesma coisa. Até chateia tanta série igual.

 
At 8:40 da tarde, Blogger Fernanda said...

Concordo em numero e genero. Nunca entendi o que as pessoas acham de especial no House. Anatomia de Grey e ER são muito superiores. E havia uma serie que passou há alguns anos na SIC, a primeira vez que passou foi dobrada (bah!) mas depois voltou a dar na versão original, chamava-se Chicago Hope e era fabulosa

 
At 11:49 da tarde, Blogger Som do Silêncio said...

Olá Pedro!

Não me estranha a tua reacção, mas só porque é a primeira vez que viste um.
Admiro-me sim, é se fores um fiel seguidor da série como eu, e se a esta altura do campeonato não perguntares: " quando começa a 4º série?????"
House é 5*****

Beijo Silencioso

 
At 1:56 da manhã, Blogger Teresa said...

Mas o que é isto...?
Compararem um romance de uma menina rica (Anatomia de Grey) com o socialmente desajustado e brilhante (House)?? e ainda por cima com o ER...?
A Anatomia de Grey tem os actores bonitinhos "pinga-amores" e é uma história de amor.
O ER tem vindo a mudar e para melhor, ou antes, a maturar, sendo uma série passada num dia/turno da vida da urgência de um Hospital muito urbano. Procuraram e conseguiram, com imenso interesse, o tema da assistência médica em África, é uma série excelente e que se vê infinitamente, tal como se ouvem os standards de jazz americanos cantados por diferentes vozes... é sempre bom!
O House, é o extremo da arrogância e má educação, com imenso humor (britânico claro!). Aprende-se imenso sobre doenças e exames, e análises estranhíssimos. Fico incrédula com aquelas cenas em que eles olham para uma pipeta que ficou de uma certa cor, trocam uns olhares de entendidos e mudam de cena, deixando-nos com aquela sensação incomodativa de ignorância... é fantástica a série, um pouco como o CSI da medicina... brilhante ;-)
Merece que lhe seja dada uma segunda oportunidade, mais um ou dois episódios, mas desde o príncipio, que é antes do genérico, tá...?
T

 
At 2:29 da manhã, Blogger vitoscano said...

Deves ter visto um épisódio errado quase de certesa.Experiementa ver um em que uma menina tem cancro terminal e depois vais ver que queres ver mais e mais

 
At 3:08 da manhã, Blogger Slipperman said...

Sinceramente concordo com o que disseste com o House. Logo aí não te vou caír em cima.

Acho que é uma série muito insípida, em que se tenta abordar os problemas dos pacientes pelo lado do drº espertalhão. A diferença é que no House este sai sempre por cima, e mm que seja depois da enésima tentativa o paciente fica curado. Só vi um episódio inteiro, e adormeci nos outros dois, pois a série estava a ser realmente muito maçuda, e a gorar expectativas que tanta gente me elevou. Acho sim que o Hugh Laurie tem um bom desempenho, mas só isso não chega. Aliás está a léguas...Mas olha que a meu ver a Anatomia de Grey, O.C., entre outras, vão pelo mesmo caminho, assim como uma grande fatia das séries da "Fox", que mais não servem do que pa entreter meio parvo, ao bom ritmo de uma soup novel.

Se queres séries de qualidade, acho que o melhor é apontares baterias para as séries da "HBO", como os "Sete Palmos de Terra" (se fizerem qualquer coisa superior a isto, avisem-me), "Os Sopranos", ou "Erva", em exibição na 2:, que sendo uma produção "Showtime", poderia ter sido à vontade da "HBO". Isso sim são séries intemporais, e rodeadas por muito menos alarido.

Abraço

 
At 10:47 da manhã, Blogger porco said...

São séries diferentes. Mas concordo com algumas opiniões de que "Ao primeiro só se estranha, depois entranha-se!".

Eu vi os 1ºs e não achei nada de especial mas depois fiquei completamente agarrado. Hugh Laurie é absolutamente genial.

Mas são gostos. Eu gosto de todas as que mencionaste. Mas tal como escrevi no inicio, são diferentes. Comparáveis, só ER com anatomia de grey, que são grandes séries, mas que no fundo são "normais" pois vivem das relações entre as personagens e das acções de cada episódio. House inova por ter uma personagem fora do normal, bem fora do contexto a que estamos habituados neste tipo de série sobre médicos.

 
At 1:26 da tarde, Blogger Jedi Master Atomic said...

Seria melhor começar a ver pelo 1º episodio da 1ª serie, mas se tens que ver um episodio "solto" recomendo vivamento o episodio 14 da serie 2.

LOL....muito bom

 
At 11:14 da tarde, Blogger cassiopeia said...

são gostos. mas, se estiveres para aí virado, não desistas à primeira. aliás, o primeiro episódio, com aquelas cores manhosas, não abona muito a favor da série, além de que as personagens vão evoluindo, o próprio house, há-de mostrar-se mais. apesar da arrogância, passa-se a gostar do homem que está por trás, do tipo de médico brilhante e eficiente mas sem lamechices ou rodeios. se é preciso cortar, corta-se. também gsto muito de GA mas é uma série sobre relações, onde a medicina está mais 'posta de lado' apesar de tudo. ali não. raramente se sai do hospital a menos que seja para ir a casa do paciente o uma visita rápida pela casa do house. ER é todo um mundo à parte, com a adrenalina lá em cima, misturada com os dramas dos médicos (sem qualquer conotação negativa da coisa). são estilos diferentes, caminhos distintos.

não te caio em cima, mas aconselho-te a dar uma nova oportunidade ao senhor ;)

 
At 11:27 da tarde, Blogger Maria Papoila said...

Pedro
Lembro-me do primeiro episódio que vi do House. Pensei o mesmo que tu. Depois comecei a entender que aquilo não era uma série sobre hospitais como as que estava habituada a ver. Não tem nada a ver com o ER, Anatomia de Grey ou até mesmo Chicago Hope (que adorava). Realmente é como alguém disse já aqui, primeiro estranha-se e depois entranha-se. É de tal forma que não se consegue viver sem. E disseram-me que ele não quis gravar mais nenhuma temporada. Espero que seja mentira e que em breve tenhamos novos episódios desta grande série.
É muito mais emocionante que Anatomia de Grey, que é um bocado tipo telenovela brasileira passada num hospital americano. E completamente diferente do ER, não tem nada a ver a não ser que é com médicos e passada num hospital. Agora que estão a repetir os episódios (mais uma vez) tenta ver alguns para ficares fã como nós todos.
Não te esqueças de nos avisar quando também não conseguires passar sem o House. E não há dúvida: ele é um verdadeiro charme, não sei porquê, mas lá que é, é!

 
At 10:07 da manhã, Blogger Suspeita said...

Compreendo perfeitamente!! Também não percebo o porquê de tanto barulho...

 
At 11:15 da manhã, Blogger Alcabrozes said...

Aprende-se imenso sobre doenças e exames, e análises estranhíssimos.
Claro que sim! E ficamos quase que habilitados para exeercer medicina...
O(s) melhor(es) episódio(s) do House é (são) aquele(s) em que ele, porque lhe apetece, enfia o termómetro rectal pelo dito de um polícia muito "velha escola" o David Morse, que depois se encarrega de o por com dono...
Fica o reforço positivo porque alguém o trata como ele trata os outros...

 
At 12:42 da tarde, Blogger Pevide said...

quando vi pela primeira vez tive a mesma reação... agora já comprei as duas séries... e eu até nem compro muitos dvd (são mesmo peças raras lá em casa - tirando o House só mesmo os 7 palmos de terra e mais 2 ou 3 filmes)
vais ver que passa!

 
At 2:48 da tarde, Blogger Ana Raquel said...

A primeira vez que vi o House comentei: Bah detesto a personagem dele, se é para ver 45m de puro cinismo..passo!
Para o fim já gravava os episódios q davam às tantas da manhã!
Gosto também do ER que acompanho à tarde e da Anatomia. Scrubs não conheço mas quem sabe??
Há uma frase que apareceu num dos episódios do House que me ficou na memória...
" Ignorance is bliss" TUDO!

 
At 4:13 da tarde, Blogger pintas said...

O House, como argumento, é fraquinho (mas a anatomia de grey não o é também?). Mas a interpretação do Hugh é brilhante!
Como entretenimento/comédia está ao nível do Scrubs. Das séries de médicos, o ER é a mais completa de longe!Mas isto sou eu a dizer...

 
At 4:31 da tarde, Blogger Rui Pedro Nascimento said...

HEREGE!!!

 
At 4:52 da tarde, Blogger Some girls are stranger than others... said...

O personagem House é genial. Tens de tentar ver outra vez :) Ah e se puderes segue o conselho de alguém que falou da série "Dexter"... gosto muito! Não tem é nada a ver com série de médicos ;) Bjs gds!

 
At 6:01 da tarde, Blogger Gonçalo said...

" Ignorance is bliss"

O meu professor de geografia dizia isto todos os dias e já há bons anos. Acredita que não é uma frase mt inovadora.

 
At 7:04 da tarde, Blogger me said...

Gosto do House, mas concordo contigo em certo ponto, porque nada bate o ER (nem que seja por ser o impulsionador de todas as outras)!!!

 
At 11:00 da manhã, Blogger AnaBond said...

ninguém te caiu em cima, mas levaste com uma quantidade de comentários... ihihihih

olha, da minha parte, a minha opinião.
também acho que primeiro estranha-se pois conhecemos o ER, o Grey etc e tal... e depois entranha-se.

é diferente, apenas isso.
e os casos clinícos são reais. é tudo baseado em casos reais, raros... e supostamente o gajo é um gajo do caraças que tem um cérebro como ninguém e há gajos daqueles nos estados unidos (não falo de feitio, falo de cabecinha e jeito para casos raros). a nossa realidade não tem nada a ver com a deles.
é uma série para degustar aos poucos. mas começando do inicio e tu vês já da terceira temporada (acho que é a que está a passar na tvi, ou passou ou coisa parecida).

mas as saídas do house são fenomenais.

e são coisas diferentes... eu gosto de todas. mesmo.

 
At 2:48 da tarde, Blogger Pedro Malaquias said...

Apanhei um episódio - three stories - da 1ª série na FOX, há já algum tempo (bem antes de ter começado a dar na TVI), e fui, na mesmo noite, descobrir que série era. Desde aí passei a seguir "religiosamente".
Aconselho-te a ver desde o início.

 
At 7:10 da tarde, Blogger *misty* said...

no inicio também estranhei mas depois de um bom par de episódios comecei a ficar "coladíssima"... ele é mais um tipo de "anti-herói" e actualmente são esse tipo que me prende ao ecrã...

senta-te à frente do televisor com a primeira temporada e entranha... entranha bastante :)

 
At 11:35 da tarde, Blogger Herói said...

episódio de House:
.caso fácil
.piadas
.desenvolvimentos inesperados
.piadas
.pesquisa de campo
.piadas
.house lembra-se de qualquer coisa que ninguém se lembrou
.fase melancólica do episódio
.diz meia dúzia de palavras que ninguém conhece
.caso resolvido
.piadas
ER sim, é uma senhora série..
abraços

 
At 12:31 da manhã, Blogger Rosebud said...

episódio 423: dr. house recebe equipa do benfica e tenta perceber porque não conseguem jogar à bola!

 
At 5:03 da tarde, Blogger YTMO said...

Até que enfim que alguém me entende. Obrigado Pedro!

 
At 11:58 da tarde, Blogger mik said...

Anatomia de Grey? Tás bom da cabeça? O House é uma série genial. Uma equipa de médicos assinalou que a totalidade dos casos são reais, assim como mais de 90 por cento dos procedimentos clínicos utilizados (há exageros, obviamente, mas têm a ver com o facto de um episódio só durar 50 minutos. Exemplo? Num dos episódios, o resultado de um exame que nunca demora menos de três semanas a obter apareceu dez minutos depois de ser feito...) E depois, ao contrário dos meninos (e meninas) bonitos de Anatomia de Grey, House é um crápula, que rouba comprimidos a um paciente já morto para fazer face às dores que sente, que assume que paga a prostitutas, que finge ter um cancro só para que lhe ponham um fármaco experimental no cérebro que lhe vai dar uma pedrada bestial, que falsifica receitas com o nome do melhor amigo, que suborna um funcionário para lhe continuar a dar opiáceos quando está internado para reabilitação, enfim, longe dos enervantes «modelos» de Anatomia de Grey. Mas tu não tiveste azar. Como o House não se cansa de repetir «toda a gente mente»...

 

Enviar um comentário

<< Home