terça-feira, maio 08, 2007

Is this the world we created?

Ontem á noite, antes de me deitar, fui, como sempre, ver os meus filhos. Dormiam tranquilamente, e eu ali fiquei, agradecendo cada instante em que eles estão perto, cada sorriso, cada brincadeira, cada alegria do dia a dia. A história da criança que desapareceu há dias, no Algarve, levou-me, de novo, a percorrer os sites que se dedicam à procura de crianças que desapareceram...é demasiado atroz, demasiado sinistra a ideia de que existe um mercado de crianças, um tráfico humano, quase sempre com motivações perversas de índole sexual, um nojento e repugante mercado que nos envergonha a todos, enquanto espécie.
A dor de todos os pais é a maior de todas as dores e o terror de cada criança que é levada por estes criminosos é demasiado cruel, nem dá para imaginar.
E o pior é que, quando deixar de ser noticia do mundo, continuará a doer a quem perdeu um filho ou uma filha assim. Nunca vai deixar de doer.
Horrível.

20 Comments:

At 3:39 da tarde, Blogger Alexandra said...

é f...

 
At 4:03 da tarde, Blogger Dr. Etcétera said...

É bem verdade! Há como que uma visita oblíqua da realidade que impõe o seu lado mais tenebroso. Uma imagem violenta, uma desarrumação da nossa mundividência até ali. E, por mais que queiramos, essa desarrumação impedirá qualquer tipo de sentido unificador à vida daquele casal. É de facto um dos modos mais ferozes de instalar a confusão e a violência na vida de alguém.

 
At 4:22 da tarde, Blogger Cristiano Moreira said...

Sou filho, mas tenho como sonho ser pai um dia e acho que não suportava uma situação destas. Nem como pai, nem como filho.

http://oolhovivo.blogspot.com/ ----->Não passes ao lado deste post, deixa o teu comentário.

Pedro, conto contigo. Não podemos passar ao lado disto. Gostava de ver um coment teu no meu blog, peço só 2 minutos do teu tempo.
Obrigado e desculpa o abuso.

 
At 5:23 da tarde, Blogger Paula Alexandra said...

Pedro, eu senti o mesmo.
Agora que estou numa fase bem diferente da minha vida: separada do pai dos meus filhos. Agora vejo, mais ainda, como eles nos fazem falta, como eles nos preenchem os vazios e os silêncios fisicos e psicológicos... e pensar em pais que, de um momento para o outro, se veêm sem os filhos, custa. Custa muito! Faz-me sentir pequenina, pequenina como o Tomás e como o Salvador....

 
At 5:33 da tarde, Blogger bz said...

Dou comigo a pensar neste triste acontecimento...várias vezes... Tocou-me imenso e nem consigo imaginar a dor que será! Tenho esperanças que ainda encontrem a menina porque temo os caminhos desconhecidos que se seguem a um rapto de uma criança. Também me interrogo q podemos fazer?

 
At 5:59 da tarde, Blogger Šonђo Ažu£ said...

Muito honestamente ultrapassa-me o sofrimento destes pais.
Tal como o caso do Rui Pedro e de tantos outros meninos a quem lhes foi roubada a vida no seio de uma familia.

É doentio. Muito mau mesmo.

 
At 6:57 da tarde, Blogger BlueAngel said...

É horrivel que existam seres que possm fazer a crianças. Não quro nem pensar no sofrimento que isso possa ser para os pais. Acho esta história horrenda como todas as outras do mesmo género, mas confesso que acho que aqui houve negligência por parte dos pais. Conheço várias mães e vários pais e nenhum deles deixaria os filhos (tão pequenos) sozihos enquanto ia ali jantar mesmo fazendo visitas de meia em meia hora. É impensável!!!!!!

 
At 6:59 da tarde, Blogger Cat in the Hat said...

É horrível constatar como o mundo dos homens é perverso.
Como é possível haver pessoas capazes de tamanha monstruosidade? Separar uma criança dos pais e terminar, de um momento para o outro, com a inocência e a pureza do mundo desses pequenos seres...

Sonho em ter filhos, mas por outro lado, também me apavora a crueldade do mundo e a incerteza de ser capaz de os proteger dela.

Fico com o coração apertado só de pensar no sofrimento dos pais da Madeleine e dos pais de todas as outras crianças que continuam desaparecidas até hoje.

PS - é enternecedor o carinho com que escreves e falas sobre os teus filhotes :)

 
At 8:35 da tarde, Blogger mags said...

Dói sempre... para um pai, uma mae, filha, filho, tio, tia, que vê alguém que ama incondicionalmente desaparecer... sobretudo da maneira cm desaparece. Isto n é só violência, mas crueldade gratuita com os pais e sobretudo c a Madeleine. Ao dizer o nome, dói mais... Podia ser qualquer um, caramba. E é assustador que a dor seja provocada pela espécie mais evoluída do planeta.
Espero que a encontrem.

 
At 11:17 da tarde, Blogger Carla Santos said...

sim
tenho um filho que é o meu maior tesouro e não quero imaginar porque sofro com isso!!
quantos pais não devem estar agora a chorar por não saber se seus " bebes" comeram ou se estão com frio???

beijos da carla

 
At 9:25 da manhã, Blogger Just a blog said...

Por muito que tentemos numca conseguimos superar a perda de 1 filho seja ele de que maneira for, por motivos de saude, causas naturais , maldade dos "homens". Aquele espaço que "arranja-mos" no nosso coração dificilmente voltará a ser preenchido. É uma tristeza que não há palavras para descrever.

 
At 10:47 da manhã, Blogger Bernardo Moura said...

É mesmo horrivel.
Apesar de se ter gerado um grande movimento na procura da pequena desaparecida os jornais ingleses só noticiam os erros que a policia portuguesa comete em vez de apoiarem, é triste.
Quanto às redes de pedofilia, venda de crianças e por aí fora é algo que me repugna tanto mas tanto que não tenho palavras para descrever o que faria a uma pessoa ligada a esses meios, é bom nem pensar.
Com muita razão diz que quando o assunto "morre" muitos pais anonimos vão continuar a sofrer com a perda de um filho que desapareceu, penso que o assunto só "morre" se as pessoas o deixarem, se nós quisermos não "morre" e penso que é uma batalha muito digna de entrar, o combate a estas redes que "roubam" as "Nossas" crianças.
Grande abraço

 
At 12:18 da tarde, Blogger MYA said...

é de lamentar :/

 
At 1:21 da tarde, Blogger Popy said...

Is This The World We Created...?

Written By: Brian May & Freddie Mercury.
Sung By: Freddie Mercury.

Just look at all those hungry mouths we have to feed
Take a look at all the suffering we breed
So many lonely faces scattered all around
Searching for what they need

Is this the world we created
What did we do it for
Is this the world we invaded against the law
So it seems in the end
Is this what we're all living for today
The world that we created

You know that everyday a helpless child is born
Who needs some loving care inside a happy home
Somewhere a wealthy man is sitting on his throne
Waiting for life to go by

Wooh, is this the world we created
We made it all our own
Is this the world we devastated - right to the bone
If there's a god in the sky looking down
What can he think of what we've done
To the world that he created

 
At 3:12 da tarde, Blogger Pedro & Pedro (filho) said...

Estes dias sonhei que me tinham "tirado" o meu filhote, o Pedrinho.
Acordei mal disposto, a transpirar, assustado.
Concordo com o sentimento de dor.
Horrivel mesmo!
Pedro

 
At 3:52 da tarde, Blogger Paulo said...

A questão que a mim me choca neste momento é verificar que todos estes meios empregues na maior caça ao homem já mais vista em Portugal (e aqui deixo apenas um reparo: trata-se de uma cidadã estrangeira raptada no ALGARVE, se fosse uma criança portuguesa raptada noutro local qualquer, nada disto se estava a passar...), ainda assim surgem criticas, feitas por quem não percebe nada de investigação policial, ao desempenho das autoridades portuguesas!

É lastimável.

Só desejo que a menina seja encontrada com vida.

 
At 11:40 da tarde, Blogger Catarina said...

Não há palavras... Percorri esses mesmos sites. São demasiados... Com demasiadas caras. Onde anda esta gente?

 
At 10:40 da manhã, Blogger FR said...

Deve doer pois deve.
Acredito piamente que deve.
Mas eu nunca deixaria os meus filhos sozinhos, para ir jantar!
Preferia passar fome!
Mas uma coisa que eu não percebo: Porque caraga de água é que aquela "mãe" deixou janelas abertas e porta no trinco?
Será que algum desses "policias" ou "jornalistas" ingleses me esplica?

 
At 2:43 da tarde, Blogger Miguel F. Carvalho said...

e a filha? será que não dói ser abandonada em casa por uma jantarada...?

 
At 6:36 da tarde, Blogger Andreia said...

Não concebo a ideia do que leva essas pessoas (serão pessoas?) a viver de negócios que se baseiam no sofrimento alheio, que destroem vidas assim, levianamente. Não consigo sequer vislumbrar as suas motivações (pergunto de novo pessoas?) Dentro do seu peito não têm certamente um músculo que se aperta de angústia e desespero, que acelera de alegria ou de aflição, que quase pára por um desgosto. Têm concerteza uma pedra no seu lugar e dentro do crânio, não habita um cérebro, talvez um iceberg gelado, estéril, que lhes permite cometer tais atrocidades sem sequer pestanejar. Para essas pessoas uma infinita náusea por serem tão vazias e asquerosas. Não têm perdão. Não existe motivo que justifique a sua crueldade. Não consigo entender. NÃO CONSIGO!! Há um filme angustiante sobre esta temática: ALICE.

 

Enviar um comentário

<< Home