segunda-feira, dezembro 18, 2006

Então e o Hawai?

Foi bom, muito bom.
Há viagens que marcam e ter ido ao Hawai é, seguramente, um caso desses.
Primeiro a lonjura: 2 horas para Londres, 12 para Los Angeles, 6 para Honolulu, e viver quase uma semana com 10 horas de diferença em relação à “minha” hora.
Mas o sítio é especial. Infelizmente não deu par aver a Big Island, nem Maui; mas deu para me deslumbrar com dias de praia em Dezembro, algo inédito para mim.
A cor da água é das lembranças mais marcantes. Sobretudo na Sunset Beach, na costa norte, num dia de campeonato de surf. Deslumbrante.
Foi uma viagem feliz pelo destino em si, pela companhia divertida da Monica Santos, ouvinte da Rádio Comercial no Porto, que ganhou este passatempo; e por dois acontecimentos especiais que testemunhei:

65 anos de Pearl Harbour.

A 7 de Dezembro de 1941, manhã cedo, o Japão lançou uma monumental ofensiva contra a frota de Guerra dos Estados Unidos estacionada, e a essa hora adormecida e vulnerável, em Pearl Harbour. Entre militares e civis morreu mais gente do que por exemplo no 11 de Setembro.
No dia do 65º aniversário daquilo a que a América chama “o dia da infâmia”, encontrei mais japoneses que norte-americanos, na visita ao memorial do USS Arizona, um dos navios de Guerra afundados em Pearl Harbour. Achei isso irónico…
O navio está afundado, tal qual como ficou naquela manhã e ainda hoje larga combustível dos seus depósitos. Construiu-se uma plataforma branca por cima do navio afundado e essa plataforma é, simultaneamente, monumento e cemitério. É que algumas dezenas de corpos de marinheiros da tripulação do navio, nunca foram retirados e jazem ali, até hoje.


Ter estado lá, logo num dia tão especial, e ter conversado com dois veteranos desse dia, que visitavam o memorial, no mesmo horário que eu, foi realmente emocionante. Aqueles homens, a quem todo o militar que passava, saudava com respeito formal, estavam em Pearl Harbour naquela manhã de 1941. Como me disse um deles, que aparece aqui na fotografia, o mais dificil ao longo de todos estes anos foi ter de lidar com a pergunta interior: porque é que não morri também?

Como esta foi, provavelmente, a última reunião de veteranos de Pearl Harbour; uma vez qu quando passarem 70 anos, só devem restar menos de 10 vivos; toda a gente no Hawai esperava que o comandante em chefe das Forças Armadas dos Estados Unidos aparecesse. Bush não apareceu e havia, entre os militares, um evidente desconforto ofendido por causa disso.
Mas ter ido a Pearl Harbour, ainda por cima, num dia tão especial, foi para mim emocionante e inesquecível.


O Concerto.

Foi o melhor concerto que já vi, basicamente. Encerramento da digressão mundial Vertigo, com três horas dos melhores U2 ao vivo. Mas antes, uma banda formada pelos roddies dos U2, que tocou meia hora, começando numa versao rockeira de Eleanor Rigby dos Beatles e terminando na homenagem a Joe Ramone com I Wanna be sedated.
Depois uma hora vertiginosa de Pearl Jam, a que, para mim, só faltou Black e Daughter para ser 100% perfeita. Grandes momentos: Better Man, Elderly Woman Behind the Counter in a Small Town, Even Flow, Alive, e uma versão de um original dos The Who, Baba O'Riley, que fechou a sua actuação de uma hora, em que Eddie Vedder foi supreendido pelo cartaz que já tinha visto há umas semanas no Pavilhão Atlântico e que dizia “Vocês são do c…”
O tuga que empunhava o cartaz vendeu o carro para estar ali! Que gajo incrível!!!!
E depois….U2, inesquecíveis.
Momentos altos: quando Bono vai buscar um espectador à plateia e ele se transforma no pianista da banda, arriscando tocar Who’s Gonna Ride Your Wild Horses.
A dança do ventre feita por uma gigantesca espectadora, que Bono foi buscar ao público, em Misterious Ways.
In a Little While e The First Time, quase sussurrados. A palavra Coexist, juntando graficamente quase toda a fé que pode haver.
The Fly a abrir um dos encores. Brutal.
Bono “fazendo de” Pavarotti em Miss Sarajevo. A surpresa da aparição de Billy Joe Armstrong, dos Green Day, para cantar com os U2 o imparável The Saints Are Coming.

A parceria U2/Pearl Jam num surpreendente e inesquecível Rockin’ in a Free World:

O All I Want is You no final, e a despedida desajeitada de Larry Mullen Jr a fechar o concerto.
Bono mostrou-se em forma como performer, cantor, activista e comunicador; com uma frescura que me surpreendeu, até tendo em conta que era o ultimo de uma cansativa tour mundial. E no final do concerto termos conhecido o Rodrigo Santoro tornou a noite ainda mais surreal.


Voltando ao concerto, foi tão bom que tive pena que o público português não pudesse ter visto. Merecia. E se o publico hawaiano não foi frio, acho que português teria sido ainda mais quente, com um concerto destes.
Eis o alinhamento. Só senti mesmo a falta de Until the End Of the World e Walk On. Ver A Sort of Homecoming ao vivo já é, para mim, uma U2pia.

City of Blinding Lights
Vertigo
Elevation
I Will Follow
I Still Haven’t Found What I'm Looking For
Beautiful Day
Angel of Harlem
Who's Gonna Ride Your Wild Horses
The First Time
Sometimes You Can't Make It On Your Own
Love and Peace
Sunday Bloody Sunday
Bullet The Blue Sky
Miss Sarajevo
Pride (in the Name of Love)
Where the Streets have no Name
One

The Fly
Mysterious Ways
With or Without You

Window in the Skies
The Saints are Coming
Rockin’ in the Free World
All I Want is You

49 Comments:

At 11:04 da tarde, Blogger BlueAngel said...

Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

 
At 11:05 da tarde, Blogger BlueAngel said...

As tuas palavras dizem tudo. Lê-se: felicidade, alegria, boa disposição e acima de tudo emoção em cada sílaba. Que emocionante deve ter sido estar em Pearl Harbour e partilhar aquele dia histórico com quem o viveu. Conhecer a história na primeira pessoa é sempre uma emoção fantástica. Como eu gostava também de conhecer o Rodrigo Santoro, isso é que era! ai... ai... E apesar de não ser apreciadora nem dos U2 nem dos Pearl Jam fiquei com vontade de ter assistido ao concerto, tal nao foi a força das tuas palavras. Ainda bem que valeu a pena. Também eu este ano vivi O concerto da minha vida: George Michael, em Madrid. Sei bem do que falas e sei bem o que isso significa. E é bom estarmos realizados e sentirmo-nos felizes!

 
At 11:42 da tarde, Blogger Marinaa said...

Deve ter sido mesmo daqueles concertos para serem recordados para sempre.
O rodrigo santoro tem um sorrisão :D
Grande post !
*

 
At 11:59 da tarde, Anonymous Anónimo said...

Se eu tivesse um carro para vender...
Ok...
Deixa cá ver como é que vou dizer isto...
ora bem...
E PAGAM-TE !!!!!!!
PAGAM-TE !!!!!!
Se me pagassem para ver bola e ir a uma ilha tropical ver um concerto de uma vida arranjava emprego...
Porra !

 
At 11:59 da tarde, Blogger Gémeos said...

És um sortudo, Pedro!!

 
At 12:06 da manhã, Blogger bounty said...

Tu tens uma sorte...!!
Também quero!!! :P
Ainda por cima...Rodrigo Santoro...aiii! :P

 
At 12:18 da manhã, Blogger TiagoF said...

Que sortudo...mas podes recordar tudo graças ao youtube....esta lá os dois consertos....

 
At 1:34 da manhã, Blogger MAR said...

wow....... de ceryeza que isso não foi tipo... um sonho? O Santoro está a gravar o Lost no Havaí, não lhe sacas-te umas info sobre a série?

 
At 1:34 da manhã, Blogger Sir said...

O melhor trabalho do Mundo. Caraças.

 
At 1:46 da manhã, Blogger binladenparte2 said...

BEEEMMMM...
sem mais comentarios...

 
At 1:47 da manhã, Blogger binladenparte2 said...

ou melhor
eu-ena pá cum catano
tu-vai buscar!!!

 
At 1:48 da manhã, Blogger binladenparte2 said...

Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

 
At 9:38 da manhã, Blogger Ana Sousa said...

Ai que inveja homem!
Que descrição deliciosa!

 
At 9:46 da manhã, Anonymous Anónimo said...

Chiça! Só pela foto do Rodrigo Santoro, o dia vai-me correr muito melhor!!

bjs

 
At 10:33 da manhã, Anonymous Anónimo said...

Adoraria ter assistido a esse concerto com as minhas 2 bandas preferidas...
Gostaria de destacar ainda a humildade dos Pearl Jam, uma vez que não conheço mais nenhuma banda com o estatuto deles que se disponibilize a fazer a abertura do concerto de uma outra banda. Um exemplo.

 
At 10:49 da manhã, Blogger Pedro said...

Pride (in the Name of Love)
Where the Streets have no Name
One

Uma sequência de fazer qqr comum mortal atingir o Nirvana....

 
At 11:08 da manhã, Blogger Patrícia said...

E pronto!
depois de um post destes, com U2, Pearl Jam, e Rodrigo Santoro todos ao vivo e a cores numa noite só.... sabes o que me apraz dizer-te... sabes?... SABES???....
Nem te digo é nada, porque é natal e eu devia estar imbuída de um espírito menos invejoso;)
Mas já que não te insulto, pelo menos posso desejar-te um grandessíssimo ubakehzp também para ti! Toma, bem feita!

 
At 11:09 da manhã, Blogger Pão com Coxas said...

Belo resumo de uma semana inesquecível para qualquer ser humano. Depois de ler fiquei aqui a contorcer-me de dores de cotovelo e roidinho de inveja. :)

 
At 11:31 da manhã, Anonymous Anónimo said...

Pois é, e ainda te pagam...!!!
E o Rodrigo Santoro!!! Há gente com uma sorte... Que inveja... saudável, claro!! Sonho, sonho!!
Abraço

 
At 11:46 da manhã, Blogger diana said...

Caraças, que inveja!
Devem ter sido uns dias fantásticos :)

 
At 12:29 da tarde, Blogger Professor Difos said...

PEARL JAM
Assististe ás duas maiores bandas do mundo num só concerto.
Espetacular.

 
At 12:50 da tarde, Blogger I_Got_ID said...

Obrigada Pedro, pela descrição!

Deve ter mesmo sido magnífico :)

 
At 12:56 da tarde, Blogger o mortal comum said...

Sinto-me arrepiado... consigo quase sentir as tuas emoções lendo as palavras... desde pearl harbour aos U2, passando pelos Pearl Jam... Espero daqui a uns anos escrevas e publiques algumas destas memórias... escreves muito bem.

Mais uma vez, muito obrigado...

 
At 1:07 da tarde, Blogger tuBo em cima said...

viagem fantástica!!
retribuo com a partilha da minha por terras onde os americanos perderam as botas

http://tuboemcima.blogspot.com/2006/12/conchichina.html

 
At 1:12 da tarde, Blogger fantasma said...

Sem palavras....
Ai, e Rodrigo Santoro!!!! ;o)

 
At 2:16 da tarde, Blogger Joaquim Varela said...

Pearl Jam tocarem Black, Daughter e Alive, no mesmo alinhamento, nos dias que correm, nem num concerto em que são cabeças de cartaz, quanto mais a abriem para os U2.

Mesmo assim ainda tiveram a sorte de apanharem com o Crazy Mary (quase de certeza por estarem no local de origem do teclista). Ainda "levaram" com a minha abertura prefrida de concertos dessa maltosa (Interstellar Overdrive), com o Elderly... (sempre positivo), o BetterMan (também sempre positivo), uma estreia - Hawaii 78, seja lá o que isto fôr. Tiveram que ouvir um Big Wave, mas tendo em conta o local, aceita-se. Isto tudo e depois no fim o "Rocking in the Free World", a acompanhar os U2 (músiquélia que os PJ tocam sempre com muita energia), deve ter ido bem catita e não deve haver muito que queixar, para quem vai abrir para outrém.

O concerto dos "tipos que não sabem tocar", foi mais ou menos mais do mesmo. Ainda andaram a tocar o "Kite" e o "One Tree Hill" na Austrália, mas estiveram-se a borrifar para isso, no encerramento da digressão Vertigo, que para mim teve um grande contra: Demasiado prevísivel e com musiquélias para as quais já não tenho a mínima pachorra (Sunday Bloody Sunday e Bullet in the Blue Sky, que ainda por cima são sempre apresentadas conssecutivamente).

Tocaram estas 2 novas deste U218 (o que se saúda), com a inesperada presença do vocalista dos Green Day, que basicamente foi o que "fugiu ao habitual".

Continuo na minha, que nada deles, irá suplantar a "ZooTV", mas os tempos também eram outros. Não se tinha o acesso à informação que se tem hoje em dia. Isso sim, foi coisa para deixar um tipo boquiaberto.

PS: Xiça, que essas 16 horas entre Londres e LA, bem que mereciam um maço de tabaco de seguida, à chegada ;)

 
At 2:18 da tarde, Blogger Joaquim Varela said...

Ops, eram 12 horas e não 16, naturalmente. 16 já dava direito a maço e meio e 3 charutos...

 
At 3:07 da tarde, Blogger Šonђo Ažu£ said...

Estava a ver que não.
Que belas noticias.
E a foto do Rodrigo Santoro foi o culminar de uma estadia em grande no Hawai.

Surpreendente.
Aliás, como tudo em ti.

Grande beijo.

 
At 3:59 da tarde, Blogger Pedro said...

Joaquim..a PopMart foi um estrondo!!!!

 
At 4:12 da tarde, Blogger Joaquim Varela said...

Caro pedro, também vi, e já não causou assim tanta surpresa.

Aliás, estava em estado de choque, pelo albúm que os artistas tinham lançado, e nem fui assim muito convicto ver a coisa. Foi jeitoso, sim senhor, mas continuo a preferir a outra. Gostos, pá.

 
At 4:40 da tarde, Blogger Joãozinho said...

epá, TU DEIXA DE POSTAR ESTAS COISAS, PORRA!

 
At 4:46 da tarde, Anonymous Anónimo said...

Arggghhhhhhh......

Passou por mim neste exacto momento um dos sete pecados mortais.
Eu sei, eu sei que não se deve ter INVEJA mas não consegui de deixar de a ter.....

SHÔR RIBEIRO.....GRANDE "CÃO" QUE VOCÊ É!!! eheheh

Abraço invejoso

 
At 5:02 da tarde, Blogger Minerva McGonagall said...

Grandes férias!!! Santoro, bono e vedder, ora aí está uma combinação genial!!! Cum catano, que sorte!

 
At 5:15 da tarde, Blogger Olinda Dinis said...

Ai que inveja....
Bom a foto com o Santoro faz-me pele de galinha :P

 
At 5:22 da tarde, Blogger Ana said...

E ainda conhecestes o Rodrigo Santoro...tb quero!!!!

 
At 8:21 da tarde, Blogger A.S. said...

Isso é tudo montagem, pá... o autor deve ser o mesmo que fez as fotografias do Neil Armstrong na Lua!!! Não enganas ninguém, pá...


P.S.- Um dos comentários mais invejosos que já alguma vez fiz... ninguém é perfeito...

 
At 8:23 da tarde, Blogger homem do badalo said...

grande aventura pedro. mas qq pessoa prefere o mike mccready ou o edge ao santoro. :-)

ps: o joaquim varela nao percebe nada de pearl jam.

black, daughter e alive são tocadas reguarmente no mesmo concerto. por exemplo, 5 de setembro de 2006 em lisboa.

 
At 11:51 da tarde, Blogger Joaquim Varela said...

Não percebo e nem quero perceber, ó mestre.

Os PJ são uma malta que apareceu agora, oriundos da República do Myamar e que têm como vocalista o Boy George, certo? Tocam umas coisas com flautas e pandeiretas, não é?

Claro que foi tocado no Pavilhão Atlântico em 5 de Setembro último, mas para os mais desatentos, os PJ têm um vasto reportório, que ao contrário dos U2, é decidido poucas horas antes do concerto, e que varia cerca de 50 % de dia para dia. Em 83 concertos que esta rapaziada deu este ano, essas 3 músicas, fizeram parte de 19 set-lists (com especial incidência na parte Europeia da digressão), o que coloca claramente isso como algo que toda a gente está à espera, quase de certeza... Então como banda de abertura, em que normalmente se toca só uma hora, isso é mais que garantido. Nunca falha...

 
At 1:12 da manhã, Blogger Sir said...

Tá a dar o Lost in Translation ;D

 
At 9:41 da manhã, Blogger Patrícia said...

Ó p., agora olhando melhor, diz lá, a sério, conta lá.... aquele tipo que está ao teu lado não é mesmo o Rodrigo Santoro, pois não?? Aquele é de cera não é?? E estava no museu de cera de Honolulu, na parte dedicada aos anjos de charlie, verdade??? Tu não estiveste assim a meio centimetro do gajo, pois não?

 
At 10:48 da manhã, Blogger T-Rex said...

O concerto de uma vida, certamente.
Parabéns por teres lá estado.
Espero um dia poder assistir a algo semelhante.

Será que essa coisa não passa entretanto na TV, caro p?

Vedeta ou Marreta ?

 
At 2:06 da tarde, Anonymous Anónimo said...

Que GRANDE viagem !!! Também queria...Mas não se pode ter tudo.
Post muito bom,continua a postar.
Fica bem

 
At 11:29 da tarde, Anonymous Anónimo said...

Continuo a dizer que há gajos cá com uma sorte...
Deixa lá da minha parte é assumidamente inveja....se já tinha... depois do Rodrigo Santoro...

Beijinhos

 
At 2:34 da manhã, Blogger João Filipe Ferreira said...

GREEN DAY !!!!

 
At 5:13 da tarde, Anonymous Anónimo said...

Ora bem! Estiveste lá:)
Bom, para dizer a verdade, eu vi os concertos dos U2 que podia ver em Portugal, mesmo com directas e tal para comprar bilhetes, horas de espera para conseguir um bilhetinho, enfim. Este é um mal de família, já que um dos meus tios (um tio quarentão) viu-os em Vilar de Mouros e continua a gostar deles como naquela altura.
Eles são mesmo do BEST em qualquer parte do mundo onde apresentem concertos...
Um abraço felino

PS: parabéns pelo excelente trabalho que tens feito na rádio.

 
At 9:27 da tarde, Blogger astuto said...

Vai este gajo pró havai ou prás ilhas Caicai e depois vem contar aos pobres como é que foi! Que foi óptimo já imaginávamos! Que inveja!!

 
At 12:24 da manhã, Blogger N.M said...

Grande viagem,só de ler o teu texto fiquei logo com uma certa inveja.Dá pa ver que te divertis-te bué,nota-se a alegria que tives-te durante a viagem ao ler este texto.Devem ter sido grandes concertos os que antecederam esse magnifico,excelentissimo concerto dos U2.

 
At 8:04 da tarde, Blogger Dive said...

genial...um programa de sonho! :)

 
At 11:45 da tarde, Blogger Sergio21 said...

nem todos têm tanta sorte. podee-te considerar um felizardo. Equiparo esse acontecimento ao premio do euromilhoes

 

Enviar um comentário

<< Home