segunda-feira, abril 03, 2006

Quando o mundo pára.



Na ânsia de não perder nada da brincadeira dos mais velhos, eis que o Gonçalo avança destemido para uma habilidade qualquer mais arriscada, com a irmã e um amigo da idade da irmã. O choro de dor anuncia que não se trata nem de uma birra, nem de uma implicância daquelas típicas da sua relação com a mana, uma relação tantas vezes de braço de ferro e afirmação de ego.
Bateu com a cabecita na cama da irmã. Madeira. Uma nódoa negra que se desenha no alto da cabeça.
Apreensão. Pancadas na cabeça numa criança de qualquer idade, mas neste caso de quase três anos, deixam-me sempre de pé atrás.
Porque ele não tinha feito a sesta do costume, demos com ele bastante ensonado ao fim do dia depois do banho. Pensámos: não dormiu, está podre. Mas..
Não quis comer nada de jeito, já na altura nos pareceu que ele não estava bem. Esta manhã acordou choroso, e vomitou.
Ao sabê-lo não aguentei trabalhar nem mais um minuto. Vim para casa. Porque nesta altura nada mais interessa. O mundo pára.
Cheguei a casa, subi a escada, dei com ele a dormir a sesta. Aproximei-me, senti-lhe a respiração descansada, descobri-lhe o rosto lindo na penumbra do quarto. Ao seu lado o “Era uma vez” vela-lhe os sonhos, com um sorriso. O Gonçalo tem quase três anos e é o meu filho. Quando ele sorri, nada mais me interessa. Quando ele chora, estou sempre lá para o ajudar a recuperar o sorriso. Quando ela joga a bola comigo, quando pede para regarmos as flores, quando quer brincar ao Rei Leão, ou ao Tarzan, ou às lutas mesmo, ali estamos os dois, alheados do mundo.
Enquanto ele dormia, segredei-lhe que o amava e que estava preocupado com ele. Disse-lhe o quanto ele é todos os dias dono dos meus, de como esta família é o nucleo duro da vida dele, sempre. De como eu, a mamã e a mana estavamos preocupados com o doi-doi dele. Disse-lhe: “quando acordares o papá está aqui, ‘tá bem? Se tiveres dói-doi o papá vai contigo à dra Leonor”
Não sei porquê, mas fiquei mais descansado com a expressão dele, porque até pareceu que sorria, inspirando profundamente, agarrando à fraldinha, com os dedinhos procurando o cantinho do tecido. Mas enquanto ele não acordar, enquanto não acordar e me disser: “Olá papá”, como só ele diz...o mundo está parado.

34 Comments:

At 4:39 da tarde, Blogger polegar said...

vá Pedro... respira fundo. está tudo bem... sim. está. beijinho a ti e ao reguila :)

 
At 4:43 da tarde, Blogger papoilasaltitante said...

É impossivel descrever a dor que nos atinge quando a preocupação pelo bem estar de um filho é posta em evidência por qualquer factor!!
Como te compreendo. Quando o meu era pequenino várias vezes tinha uma reacção estranhissima que se denomina "Espasmo do choro"... Se algo o magoasse, sentisse dor ou se se assustasse... ao chorar começava a ficar branco e perdia os sentidos... nunca sabiamos se perdia os sentidos por ter batido com a cabeça ou se estava mais uma vez a ter um "Espasmo do choro"... Uma aflição!!
Quando descreves o que sentiste... e o que stás a sentir... revi-me a mim e ao meu marido n vezes... a olhar para ele enquanto dormia após uma crise dizia-lhe essas mesmas palavras!!!
Felizmente com o crescimento esse sintoma desapareceu!! Mas a aflição ...essa nunca!!
Mas é tão bom mostrar aos nossos filhos o quanto são amados!!!
As melhoras e não há-de ser nada de cuidado.

 
At 4:48 da tarde, Blogger fantasma said...

Fiquei sem palavras...
Resta-me torcer para que esteja tudo bem, que está de certeza!!

 
At 4:56 da tarde, Blogger Ana said...

Bolas nem imagino o que seja, o meu ainda não nasceu (faltam 80, muito esperados, dias :) ) e quando esyou mais que 2h sem o sentir mexer fico em pânico...

xxx

A

 
At 4:58 da tarde, Blogger BlueAngel said...

Una lagrima furtiva... é tudo o que posso dizer. Não deve ser preciso ir à Drª. minha homónima :) Quando o Gonçalo acordar vai continuar tudo bem, graças a Deus! :)

 
At 5:06 da tarde, Anonymous grenha@walla.com said...

Sabes .. li o que escreves-t e sei bem o significa isso.. ansiedade.. e todos os stress..
mas depois lenbrei-me do miudo italiano.. e da dor dakeles pais..
do desespero.. da ansiedade..
de uma bébé assustado.. é assasinado.. que mundo onde tudo nos magoa.. onde as pessoas nao existem.. onde quem tem o dever de proteger magoa.. enfim.. onde ser criança nao implica ser feliz..
e como é bonito uma criança feliz.. um sorriso sincero..
um abraço forte.. um rosto pousado no nosso ombro.. é muito mais receber do que estamos a dar..
felicidades Pedro..

 
At 5:16 da tarde, Blogger Francisco del Mundo said...

Caro Pedro, vais ver que foi um susto... Quantas vezes também batemos com a cabeça? Passa pelo meu blog que deixei um link para o teu blog...:D
Abraço

 
At 5:27 da tarde, Anonymous Paula Costa said...

Um beijinho grande e que tudo não passe de um susto...
O Gonçalo é lindo :)

 
At 5:31 da tarde, Anonymous A.Carrilho said...

....dá noticias. Boas, ó faxafor.

 
At 5:55 da tarde, Blogger Ana said...

Queremos saber como acordou o Gonçalo, Pedro. De certeza que não é nada de grave mas, se ele vomitou e pelo sim pelo não, vai com ele ao hospital para fazer um Rx.

 
At 5:56 da tarde, Blogger P said...

Febre. Choramingas. Que merda!

 
At 6:11 da tarde, Anonymous Maria said...

olá! Esperemos que nao seja nada, mas se ele vomitou, mais vale levares ao médico porque o que descreves faz parte dos sintomas de traumatismo. Boa sorte e dá notícias!

 
At 6:11 da tarde, Blogger nudi said...

es um pai lindo!!!
mas olha que a Ana tem razao Pedro...qd ele acordar ve se nao está mais sonolento do que o normal...
uma dica:ha na farmácia uma pomada ou spray, que tira logo as nosdoas negras, n te sei dizer o nome, mas ha e é mta bom!
va pedro, as melhoras e n fiques preocupado...
dps da noticias po ppl aqui n ficar preocupado...;)
bjs
vans

 
At 6:13 da tarde, Anonymous Anónimo said...

Um post que se lê sustendo a respiração...espero que tudo esteja bem e corra bem.

Mas lembra-te que eles são muito resistentes, não deve ser nada.

Um abraço
PM
vouserpai.blogdrive.com

 
At 6:23 da tarde, Anonymous Ribeirinhódependente said...

Tenho a lagrima no canto do olho...='(

 
At 7:48 da tarde, Anonymous Cristina said...

Espero que o susto tenha passado e que logo que ele acordou tenhas recebido o "olá papá" mais delicioso do mundo.
O Gonçalo é lindo :-)

 
At 9:13 da tarde, Anonymous pedro said...

Quer ser um pai como tu és!

 
At 9:34 da tarde, Anonymous Uma Ana said...

Acho que me entrou qualquer coisa para o olho enquanto lia este teu post... estas lágrimas...! ;)
O teu filhote é tão giro, Pedro! Tem um ar tão doce e meigo!
Espero que não tenha tudo passado de um susto e que o Gonçalo já esteja 'de volta'.
Beijinhos,
Uma Ana

 
At 10:12 da tarde, Blogger maçã said...

pedro,
sou tua fã silenciosa desde os tempos do homem que mordeu o cao contigo, o nuno markl, a ana lamy e o malato. Ainda na altura andava no colégio, e já faço agora 2 anos de licenciatura...!
Nunca me pronunciei, nunca enviei mails nem caixas de pasteis de belém a dizer que vocês eram os meus heróis da rádio, mas hoje não resisti. És um dos meus heróis da rádio.
O teu filho é lindo,
dei muitas turras no berço da minha irmã com a idade do Gonçalo. Tá tudo bem :)

 
At 11:37 da tarde, Anonymous Daniela said...

Curiosamente tambem tenho um Gonçalo... com 2 anos... e curiosamente na ultima queda "grave" partiu a clavicula... Felizmente o Teu Gonçalo já está melhorzito (ou assim li no post acima) está bem e recomenda-se... e é LINDO devo confessar...

 
At 12:06 da manhã, Blogger Cristina said...

:)))) profissão:pai.
e vai acordar....
beijos

 
At 4:24 da manhã, Anonymous Tiago H said...

Espero que ja esteja tudo bem com ele. Nao passou de um susto com final feliz.
O texto tem partezinhas um bocadinho arrepiantes/emocionantes.

Abraço

 
At 5:05 da manhã, Blogger O Casulo said...

Lindas palavras!

As melhoras para o doi-doi do Gonçalo!

 
At 10:05 da manhã, Blogger JustMySelf said...

..é tão bom ter estas maravilhas k ENCHEM a nossa vida e tornam tudo o resto sem a mínima importância!! Beijinhos Gonçalo!

 
At 1:16 da tarde, Blogger Beguinha said...

Bonito de mais para se ler apenas uma vez... vou guardar o texto, para mim, para quando acho q sou só eu que exagero nisto de gostar dos filhos e de não conseguir estar em lado nenhum sem ele estar também. Bonito mesmo... e sentido.

 
At 1:18 da tarde, Blogger SoNosCredita said...

"Quando ele sorri, nada mais me interessa. Quando ele chora, estou sempre lá para o ajudar a recuperar o sorriso. "

deve valer tão a pena!

 
At 3:34 da tarde, Blogger Patricia said...

Já vi ali em cima que está tudo bem :)
Tens um miudo lindo!
E uma foto da Mafaldinha? ;)

 
At 12:24 da tarde, Blogger Vanessa said...

Li primeiro o post que dizia que está tudo bem. Boa!
Não digo que imagino o alívio porque conheço bem esse tipo de "alívio pós-medo". Pudessem todas estas criaturinhas ter uns papás assim, não é?
Pudessemos nós (papás), nunca lhes faltar e conseguir que nunca se magoem...
No fundo, são é uns sortudos ;)

Ahhh! Acho que toda a gente gostou de conhecer o Gonçalo. :D
Então e a Mana?

 
At 2:44 da manhã, Anonymous Carlos said...

eramos muito mais felizes se utilizasse-mos mais vezes a palavra enternecido.

 
At 3:50 da tarde, Blogger ana said...

ai que arrepio!
um abraço apertado!

 
At 1:34 da tarde, Blogger Miguel said...

Pedro,
Comovo-me só de ler.
A forma como descreves cada palavra, a ansiedade, o medo mas tb a alegria, faz-me querer ter filhos tambem.Agora tb acredito no que me diziam...Filhotes são mesmo o melhor do mundo.
Abraço

 
At 11:27 da manhã, Anonymous Anónimo said...

As tuas palavras fizerem despertar em mim a vontade de ser mãe.
Força Ribeiro, és o maior!!

 
At 3:56 da tarde, Anonymous Anónimo said...

até me vieram as lágrimas.

 
At 5:39 da tarde, Anonymous Anónimo said...

Pedro:
Tal como tu sou agora pai. Ainda sem filhos já ouvia a ternura com que falavas da tua filha e seempre que colocavas no ar o separador com a voz dela, não podia deixar de me emocionar.
Hoje ao ler mais uma vez este post, não posso deixar de ficar com lágrimas, porque não é lamechice dizer que se amam "demais" aqueles pirralhos que no fundo são a nossa vida.
Um abraço de um pai igualmente babado.

 

Enviar um comentário

<< Home