sexta-feira, agosto 31, 2007

Todas as saudades do mundo.

Dois dias seguidos em que saio de casa cedo, como sempre, e os meus filhos estão, claro, a dormir.
Dois dias em que chego já noite e eles já dormem também.
É muito. É demais.
Ai.

16 Comments:

At 10:50 da manhã, Blogger Szoze said...

Como te entendo...
A vida "custa" mesmo muito a ganhar, ás vezes penso se não será demais.

 
At 11:50 da manhã, Blogger emvooplanado said...

Ainda ontem numa roda de amigos, discutia-se este assunto: Vocês já viram que somos escravos mas pensamos que somos livres. O capitalismo mais feroz conseguiu criar necessidades artificiais que depois nos obrigam a trabalhar mais do que é normal. Está-se a perder o tempo em troca de qualidade de vida. Mas será que é mesmo qualidade de vida?

 
At 11:58 da manhã, Blogger mags said...

Sorria, senhor: a paz do fds está mesmo aí à porta! E os teus filhos tb, oh super pai babado!
:)

 
At 12:44 da tarde, Blogger helena said...

todos os dias pela manhã venho ler os post. o de hoje fez com que relesse um mais antigo, que simplesmente é divino, e voltei a reler para as colegas aqui no emprego. obrigada pela beleza das tuas palavras, obrigada por fazeres " parte " do meu quotidiano.

 
At 12:59 da tarde, Blogger Papoila said...

Ai... que a minha filhota está no Minho e eu aqui na Capital a morrer de saudades...

Bom fim de semana

 
At 1:01 da tarde, Blogger Tino_de_Rans said...

Petição para mudar o reportório do estádio da luz

ASSINEM

:)

 
At 2:18 da tarde, Blogger Luis said...

ta na hora de veres o filme Click, com o adam sandler.
um abraço

 
At 2:38 da tarde, Blogger ccunha said...

É mesmo...
São saudades do tamanho do mundo!

 
At 3:35 da tarde, Blogger AnaBond said...

ui...

tens de matar essas saudades no fim de semana.

abraços

 
At 5:01 da tarde, Blogger redjanpais said...

E depois quando nos pedem se podem adormecer na nossa cama e .... mesmo sabendo que já estão crescidos, dizemos o quê? Que não? Eu digo que sim . Há-de chegar o dia em que esse porto seguro passa para o imaginário e nós ..... adormecemos sem aquele respirar e cheirinho que são uma vida: eles !

 
At 5:25 da tarde, Blogger Luís said...

Às vezes passo semanas assim... é muito duro. Mas bem pior é quando vou para fora 15 dias ou mais. É uma dor que só os pais podem entender.

 
At 2:34 da manhã, Blogger shy said...

Ainda não tinha lido o post de Maio.. e para ele só tenho uma palavra: arrepiante! O que sentimos ao lê-lo pode não chegar aos calcanhares do que queres transmitir, mas já é tanto, que deixa qq um rendido as tuas palavras! Parabéns P! Mesmo sem te conhecer pessoalmente, acho que posso dizer: És um GRANDE homem! :)
Obrigada por nos dares um bocadinho de ti todos os dias!

 
At 10:23 da manhã, Blogger I said...

Esse amor pelos teus filhos é muito comovente. Cruzo-me tantas vezes com crianças que têm que dividir, melhor, multiplicar o amor que sentem pelos pais. Separados e cada um no seu canto do mundo, os filhos metidos num avião sozinhos a caminho de famílias que lhes são estranhas mas também as únicas que têm. Estes miúdos dão-nos lições de vida, de generosidade.

 
At 10:49 da manhã, Blogger PEDRO said...

Assim é difícil de não te admirar como profissional e, principalmente, como pai!
Li agora o artigo de Maio e fiquei com um nó na garganta. Lembrei-me da história que contaste também aos meus filhos no Chiado (Uma História de Domingo)e o ar terno que tinhas com todas as crianças que te ouviam atenciosamente.
Gostava de saber transmitir os meus sentimentos da mesma maneira como o consegues.
Um grande abraço.
Pedro Reis

 
At 9:03 da tarde, Blogger Ana Luísa said...

Pedro,

Gosto imenso de te ouvir todas as manhãs e é pra mim um prazer ler o teu blogue... a tua voz e as coisas que dizes já fazem parte do meu dia a dia e por isso mesmo vejo-me na liberdade de te dizer uma coisa (e perdoa-me o tratar-te por tu mas é como se te conhecesse à anos :P):
Axo fabuloso a maneira como exprimes o amor pelos teus filhos, especialmente porque eu tive um pai assim. A coisa de que mais me orgulho é de ter sido durante 21 anos (e ainda o sou mesmo sem ele) a menina do papá!! E todos os pequenos momentos que passei com passei com ele e todas as gargalhadas e raspanetes vão caminhar comigo pela vida fora como poderosos alicerces. Ainda assim, fica aqui a anotação, porque sou mulher e porque nunca escreves sobre a mãe deles... o meu abraço para ela! Estou certa que para te dar uns filhos maravilhos será concerteza uma pessoa igualmente especial. :)

 
At 5:44 da tarde, Blogger Ovelhas Ranhosas said...

Mé, isso é péssimo, não poder ter tempo para aqueles de quem gostamos!

www.ovelhas-ranhosas.blogspot.com, dêem uma passada pelo nosso site, um sitio irreverente e divertido, está bem?

Ovelha Anorética

 

Enviar um comentário

<< Home