quarta-feira, janeiro 31, 2007

Espectáculo

Ontem fui surpreendido por um programa na Sport TV, que fez com que, por uma hora, a Fórmuma Um voltasse a ser sentido para mim. Trata-se de uma série documental com a história de algumas edições do Mundial de Fórmula 1, dos anos 80 (e julgo que teremos dos anos 90 também).
E ontem foi o Mundial 89. Logo o Mundial de 89 !
E ali estive, deliciado. Primeiro: os carros. Hoje são muito mais bonitos. E olhando para os bólides de altura aquilo tem um ar frágil e quase ingénuo. Tudo o que a condução e a atitude de Ayrton Senna não tinham. A competitividade do brasileiro era à prova de bala! Que piloto! Um louco por...ganhar e conduzir nos limites.
Pude rever, tantos anos depois, essa corrida lendária no circuito de Suzuka, no Japão, e o braço de ferro entre Alan Prost e Ayrton Senna, ambos na McLaren na altura, competindo pelo título de campeão mundial. Que corrida! O choque entre os dois. A tensão evidente, Senna a escolher não desistir depois do choque. Voltar à pista e ganhar uma corrida que depois lhe foi tirada.
E foi igualmente espectacular rever, neste programa, a Fórmula 1 no Estoril, num GP em que Mansell fez marcha atrás na zona das boxes e viu a bandeira negra, mas não quis saber e acabou por não sair da pista...enquanto não fez alguém sair de pista. Histórico.
E os outros pilotos? Ricardo Patrese, René Arnoux , Gerhard Berger, Nélson Piquet num Lótus amarelo, Alessandro Nannini, e tantos outros, entre Tyrrel, Brabham...McLaren com motores Honda... Os filmes oficias do Mundial de Fórmula 1, por estes dias, na Sport Tv.
De repente, a Fórmula Um voltou a fazer sentido para mim...e a ter interesse, por uma hora.

18 Comments:

At 10:35 da manhã, Blogger Ice-device said...

Pena é que só quem paga a Sport TV,que é um absurdo de dinheiro, além da já cara TV cabo, é que tenha direito a ver Fórmula 1. os adeptos "agradecem" à RTP ter tratado uma das suas galinhas de ovos de ouro tão mal nestes últimos anos. Não me conformo. Já agora Pedro, se houver mais resumos de épocas experimenta a de 1990. Prost, Senna e Piquet ao mais alto nível. E quanto aos carros não serem bonitos... dá uma olhadela ao Jordan de 1991 e depois conversamos! Cumprimentos!

 
At 10:51 da manhã, Blogger ZapporssoN_81 said...

Ao ler isto, tal cm tu, fui transportado para aqueles inicios d tarde em frente à RTP1, em estilo ritual. Na altura também só via um lado, o de Ayrton Senna...Bons tempos... os tempos em que gostava de Formula Um
Aquele dia em que o senna teve o acidente, ainda está bem presente... tinha 12 anos e estava a estudar para um teste de ciencias em frente à TV. Chorei, e nunca mais vi Formula Um

 
At 11:16 da manhã, Blogger Joaquim Varela said...

Não vi, porque me recuso a aderir a um canal propriedade de mafiosos.

Estas corridas incluíram os "belíssimos comentários" de José Pinto, Pedro Mariano, Domingos Piedade e Adriano Cerqueira, esses grandes "especialistas"? Só assim é que a Formula 1 dos anos 80 faz sentido. Não? Estão agora aqui a dizer-me que não.

PS: Isto é mariquice, mas como grande aficionado do desporto (que sigo há quase 25 anos e que possivelmente vou deixar de lado) custa-me ver Suzuka, René Arnoux e Alessandro Nannini mal escritos.

 
At 11:29 da manhã, Blogger Hermione said...

Não vi mas espero que repitam.
E que também para mim a formula um nessa altura tinha sentido e interesse hoje...

 
At 1:43 da tarde, Blogger Lídia Amorim said...

uiiiii em 89.... tinha eu cerca de 2 anitos. Não faço a minima ideia do que era a formula 1 nessa altura... Eu só pensava em escrever nas portas e riscar as paredes*/eheheh

bjitos

 
At 1:44 da tarde, Blogger João Silva said...

...e os pneus "slicks", a caixa de velocidades sem patilhas no volante!
E controlos de tração nem vê-los!!!...se tens maozinhas agarras o carro se não tens vais jardinar pra fora da pista!

Lembras de um GP no mónaco em que o mansel(ccho que era o mansel)estava a pressionar o senna nas ultimas voltas com o carro muito mais rápido??? O senna, já práticamente sem pneus bate umas 3 vezes seguidas a melhor volta da corrida nas ultimas voltas e não se deixa apanhar! LINDOOOOO

 
At 4:04 da tarde, Blogger N.M said...

Que pena não ter Sportv para ter visto esse programa!As lutas entre senna(para mim o melhor)e prost eram do melhor,muita emoção e competitividade.Era de ficar pregado ao ecrã a corrida toda pois tudo podia acontecer.
Bem que podiam fazer uma edição em dvd das melhores corridas de formula 1 de sempre!

 
At 4:11 da tarde, Blogger JP said...

Desculpe o facto de este comentário não ter a ver com este assunto, mas tenho notado todas as manhãs o seu entusiasmo por essa pérola única da canção que é o inigualável êxito "Aqui não há snow", e como me parece ter algumas dificuldades em decifrar a letra, aqui vai uma tentativa (já só me flatam duas palavras, mas não está mau)

Sou galafão, sou galafão de São Miguel (galafão = galifão)
e vim d'América aqui fazer o meu papel
Sou galafão de São Miguel e ????????????????
É melhor aqui que em São Francisco ou em Toronto

Trouxe uma mala com uns embrulhos mais ou menos
poderios de "shorts" e "sweaters" prós pequenos
Pús uma mesa com "candilhes" e pastilhas (candilhes = candles)
são novidades que não se vêem nestas ilhas

Aqui não faz "snow"
Aqui não há dinheiro
Aqui os arrepios
é só do vinho de cheiro

Aqui não se anda nude
Aqui tudo é pertinho
Aqui haja saúde
e o resto...
caguei-te Mariano! (a expressão está explicada no diálogo final)

- Eh Jedé (José) Eh Jedé!
- Ema, o que é?
- Tu tás ouvindo esta conversa?
- Qual conversa?
- É essa conversa do "Caguei-te Mariano"! Ema isso é uma falta de respeito!
- Uma falta de respeito? Ema, o respeito imigrou prá América!
- Ema isso é uma falta de respeito!
- Não é, eh homem! O povo é que diz...quando a vida não dá certo é "caguei-te mariano"!
- "Caguei-te mariano"? Nunca ouvi isto semelhante coisa!
- Ema é mesmo assim! quando a coisa não dá certo é mesmo caguei-te mariano!
- O que Deus te perdoe!
- Que raio de conversa é esta...


Raio de comentário mais longo

Um abraço

João Ferreira

 
At 4:28 da tarde, Blogger João Cordeiro said...

Olá,
Que posso eu dizer se os meus olhos não falam!
Transmitem emoções, a essa beleza inconfundível
que as palavras me transmitem
Aqui estou eu para te dar o meu apoio e solidariedade
Soberbo... continua…
Meu blog:
http://www.sonhadoremfulltime.blogspot.com/

 
At 4:38 da tarde, Blogger João Paulo Cardoso said...

Lá estás tu com as memórias dos Anos 80. Queres que chore como uma menina que sujou o vestidinho da Floribella?

Também não vi esse programa na Sport Tv, mas sei que o meu gosto pela Fórmula 1 morreu quando o Ayrton Senna morreu...

Talvez o interesse volte, quando aparecer um fenómeno menos arrogante que o Scumacher e menos previsível que Alonso.

Acelerem até

http://oeldorado.blogspot.com/

para mais carapaus de corrida e lésbicas assanhadas.

 
At 4:46 da tarde, Blogger P said...

Joaquim, os teus desejos são ordens amigo! Já fiz copy paste dos nomes, tal como os escreveste. Obrigado.
E olha que tu havias de gostar de ver o programa. Parece que logo à noite é a vez do Mundial de 1990. Promete...

 
At 6:47 da tarde, Blogger Joaquim Varela said...

Porra! E logo um ano bem jeitoso, sim senhor.

Desse ano, de 1990, só retenho uma outra coisa para além da filha-de-putice que esse piloto com tantos admiradores espalhados no mundo, fez precisamente em Suzuka.

E essa é o magnifico (a vários títulos, nomeadamente os comentários) GP do México, que ainda tenho lá em casa gravado na bela K7 VHS, em que A. Prost venceu, depois de ter partido de 14º lugar, ultrapassando todos os restantes concorrentes.

Voltando à corrida-chave, levantei-me eu às 5.30 da manhã para ver, 10 segundos de corrida e o tipo atirar com o Alain Prost para fora da pista logo na 1ª curva, para fazer a sua vingançazinha da treta e ser coroado imediatamente campeão do Mundo, mesmo faltando ainda uma prova.

Há sempre muita celeuma à volta dos grandes campeões, disso não tenho a mínima dúvida. Eu faço parte dos detractores do Ayrton Senna. Reconhecia-lhe grandes qualidades enquanto piloto, mas não fazia o meu jeito, tal como para muitos outros o mesmo sucedeu com o Schumacher, com o Prost, com o Piquet, com o Lauda, etc.

Nesse ano de 89, e isto é como eu vejo as coisas (e se bem lembro também), os regulamentos proibiam que um piloto tivesse qualquer tipo de auxílio externo. E o que sucedeu nesse incidente no Japão que deu ontem e que está retratado aqui na foto, foi que os 2 pilotos após o embate (que para mim foi um incidente de corrida banal), deixaram o carro ir abaixo. O Prost saiu imediatamente do carro e o Senna ficou no seu e aproveitou-se do facto dos comissários de pista terem de retirar o carro daquele local, para colocar o motor em funcionamento (de empurrão portanto) e foi por isso que foi desqualificado no final da prova, após umas últimas voltas alucinantes. Eram assim os regulamentos à data. Se fosse hoje em dia era uma situação perfeitamente dentro da lei.

No ano seguinte, como que para se "vingar" do que lhe tinham feito anteriormente, o tipo propositadamente, logo após o arranque, embateu no carro do Prost e colocou os dois fora de prova. Também na altura este comportamento não era penalizado (hoje em dia já o é e o M.Schumacher não só o utilizou com sucesso uma vez com o Damon Hill, como depois quando tentou a 2ª com o Villeneuve, viu serem-lhe retirados todos os pontos conquistados nesse ano e acho muito bem).

Ainda sobre esta estória das vinganças, essa do Mansell cá em Portugal (e que foi desqualificado por um amigo meu que era comissário no Autódromo à data e lhe valeu 2 viagens a Paris, para explicar muito bem aquilo à FIA), para mim ocorreu, depois de o Senna ter feito a mesma coisa num GP da Bélgica, em que socos foram trocados na box e tudo. Enfim, eram outros tempos em que este tipo de comportamentos a mais de 200 Kms/h não eram fortemente penalizados como felizmente ocorre hoje em dia.

Está-me a custar comócaraças pensar que para seguir esta coisada tenha que dar lucro aos xupistas da Olivedesportos, mas não estou a ver muito bem, como é que o senhor aqui da tasca ao pé de mim, vai abrir aquilo, às 5 da manhã, para ver um "interessantissimo" GP. da China.

 
At 7:08 da tarde, Blogger Frédéric said...

é verdade!Tempos áureos, os do Ayrton Senna!
Agora depende bastante mais dos carros e não tanto do "kit de unhas":)

 
At 7:16 da tarde, Blogger astuto said...

Nélson Piquet e Alan Prost, os melhores, na pista e fora dela! Uns senhores... Nos anos 80 havia Fórmula Um!

Cumprimentos.

http://homemmau.blogspot.com
http://maisastuto.blogspot.com

 
At 11:15 da tarde, Blogger José said...

Parabéns Bruno Nogueira, já agora.

 
At 11:43 da manhã, Blogger Filipe Pereira said...

Bem...ufff...quando vi as repeticões dos GP´s de outros tempos tambem fiquei com a sensação de que o carros eram bem mais frageis do que são agora, outros tempos, que até os mecânicos das boxes não usavam capacetes, tenho apenas 23 anos mas lembro-me de depois do almoço ( quase sempre) em familia claro, ver a corridas alucinantes, ver o Senna, nunca mais me sai da memória aquele dia, Grande Piloto, e agora anos mais tarde parece que até sinto o cheiro daqueles Domingos...

 
At 4:12 da tarde, Blogger Hugo said...

Acabaram as minhas tardes de Domingo vendo a F1 na RTP. Felizmente não preciso da Sportv, mesmo que ela seja bloqueada pelos outros canais de Cabo que a transmitem,não tem problema nenhum, pois vivo perto da fronteira com espanha e consigo ver atraves de um canal privado espanhol chamado Tele5 até prova em contrario e estes eles não podem bloquear eheheheh.

 
At 12:39 da tarde, Blogger Pedro Moreira said...

Epá, mesmo giro era jogar Formula 1 no Spectrum com esses personagens todos!
Aparecia no ecrã só a recta da meta e os carritos iam passando de quando em vez...Brutal!
E as boxes...ai as boxes.

Tão fixe!

 

Enviar um comentário

<< Home