quinta-feira, janeiro 12, 2006

Liberdade.

Sou contra todos os fundamentalismos. Sou pela liberdade, de pensamento para começar.
Li isto hoje, e aplaudi.

11 Comments:

At 7:54 da tarde, Anonymous papoila_saltitante said...

Aplausos também!!! Concordo plenamente!

 
At 8:07 da tarde, Anonymous Andreia said...

Sou contra os fundamentalismos e acho que as pessoas devem ser livres de dizerem e envocarem quem muito bem entenderem.
Mas sou igualmente contra descontextualizar afirmações!
Ora Manuel Alegre passou décadas a criticar Cunhal, a criticar os seus actos, os seus pensamentos, mas agora que lhe dá jeito piscar o olho à esquerda fala dele como se se tratasse dum herói pessoal!
Em relação ao Cavaco Silva... bem, como esquecer que ele fez o máximo para impedir que Salgueiro Maia (um dos grandes heróis da Revolução de Abril)recebesse uma reforma (que lhe permitiria pagar os seus tratamentos da doença de que padecia e que iria matá-lo) enquanto assinou sem quaisquer problemas de consciência as reformas de dois PIDE's... Mais um a tentar piscar o olho à esquerda utilizando um símbolo da Revolução (à qual ele nunca deu provas de dar grande importância) para seu proveito eleitoral.
Senhoras e Senhores, liberdade de expressão sim! Oportunismo político, poupem-me!

 
At 8:28 da tarde, Anonymous pedro g. said...

Não vou comentar este post particularmente. Tou agora a assistir à Ribeirinha de hoje, que é a repetição com o Fernando Rocha e tava a imaginar esta entrevista num programa do tipo Conan O'Brien, Jay Leno, Daily Show, por aí... com público mas continuando com este registo calmo, descontraído sem entrar muito na vida pessoal do entrevistado...
Bem, fica bem, continua assim e pensa na minha sugestão...

E essa piada Ribeirinha SAI?!

 
At 8:35 da tarde, Anonymous Anónimo said...

Não sou apoiante das ideias de esquerda. No entanto estive em Peniche, visitei o forte, a reconstituição do dia-a-dia dos presos politicos por lá e da extraordinária fuga do Alvaro Cunhal.

Fiquei impressionada pela coragem daquele Senhor!

Digo-vos...passem lá! Comove, estando lá, imaginar aquela estadia dura e a fuga!(podem ver os artefactos que os presos criaram, os desenhos do cunhal).

:D

 
At 10:17 da tarde, Anonymous Anónimo said...

Também sou contra fundamentalismos... Voto normalmente ao centro (embora só tenha votado ainda em três eleições)...
Acho que a história de Portugal é património de Portugal e dos portugueses, e ninguém a deve usurpar para proveito próprio...
Os mesmbros do PCP não são mais democratas do que as pessoas do PS ou do PSD, se calhar pelo contrário... Porque os países onde houve regimes comunistas não são (foram) lá grandes exemplos de democracia...

RM

 
At 10:35 da manhã, Anonymous Descrente said...

Infelizmente em Portugal não existem na classe politica valores (e noutras classes ok, mas essas não decidem o destino do País, ou seja o nosso) ideológicos que sejam reflexos da verdade, da seriedade, do rigor, e que façam as pessoas participar activamente e civicamente na vida politica (não é agitar bandeiras e dar beijinhos aos candidatos em alturas de eleições!). Infelizmente não acredito há muito tempo em nenhum politico e em nenhum partido pois esse tempo tem provado que as suas promessas nunca correspondem à prática. Criticas a Alegre? Criticas a Cavaco? São todos iguais, centro, direita, esquerda, o que querem são votos e tachos e são sempre os mesmos.

 
At 5:46 da tarde, Anonymous pedro a. said...

Eu não aplaudo!
Achei que foi mais um texto opotunista, levantando os velhos fantasmas estalinistas. As palavras de Jerónimo são claras no sentido da demarcação das fronteiras dos eleitorados, já que, nestas eleições é isso que importa, mobilizar pelas diferenças e não pelos consensos...
Quem não percebeu, ou não quis perceber, o significado das palavras de Jerónimo e de Alegre, foi Francisco José Viegas!

 
At 11:08 da manhã, Blogger Jorge Vassalo said...

Há contudo nisto tudo uma coisa que não nos devemos esquecer: estão em campanha eleitoral.

Ora, vamos por partes.

Manuel Alegre não é um anjinho, nem santo, e sabe perfeitamente que só pela ala esquerda pode conseguir votos para a sua candidatura e, como é evidente, sendo ele a auto-proclamada "História do PS" (viva a soberba), terá de piscar o olho às figuras históricas do pré e imediatamente pós 25 de Abril, na sua roda de cemitérios e afins, para conseguir eleitorado. Alegre foi dos primeiros a vir com a história do "papão comunista" aquando da sua saida do PC, passando de comunista a ANTI-comunista.

Haja lata, meus senhores, para vir agora dizer que se viveu em casa do cunhal e que o jeronimo não o conheceu antes do 25 de Abril, como ficha de "ah-eu-tenho-mais-direito-que-tu".

Pedro, lembrar-te-às que, na entrevista que fizeste ao Jerónimo, ele só disse do Cunhal que gostava que ele dissesse "estás a andar bem". A modéstia e o respeito pelo camarada que não queria mais foco que o político, que nunca quis nada de heroico, é de notar. O PC teria o aval de Cunhal para o usar como imagem, mas não o faz. Com que direito outros o farão? Foi com a bandeira do PC que foi a enterrar!

Quanto a Cavaco, bem, cantar a "Grândola" é ridículo, pois qualquer bébé sabe que ele está tão perto dos ideias de Abril como eu estou de Plutão.

E bem, FJ Viegas, que muito respeito, é apoiante declarado de Cavaco Silva.

Jorge Vassalo, militante comunista desde 1995.

 
At 11:20 da manhã, Blogger Jorge Vassalo said...

E desculpem pelo abuso, mas um P.S.:

Tenho um post no meu blog louvando Alegre aquando da sua candidatura à liderança do PS, que mantenho sem retirar uma vírgula, e que venha visitar o Forte ou a sede do PC, quando quiser, fora de campanha. Se AÍ, disser o mesmo, será sincero.

E francamente, vamos deixar-nos de fantasmas comunistas. O ideário comunista é simples e abrangente e, como é evidente, moralmente impossivel de obter ainda, pois se o povo é comunista e o pratica diáriamente, também os líderes o êm de ser. Nenhum, repito, NENHUM líder "comunista" o efectivamente foi. Gandhi, Cristo, ou Siddharta Gautama andaram sempre muito mais perto. Definindo que, sendo que todos seriamos um, não haveria distinções de classes, ganhos e perdas. a Definição do que é, ideologicamente, o COMUNismo.

Tenho dito.

 
At 1:51 da tarde, Anonymous Anónimo said...

Álvaro Cunhal foi o maior Político, Homem, Ser Humano que Portugal conheceu.
Não pronunciem o seu nome só porque sim. Não se aproveitem de nada. Quando o pronunciarem que o façam devido à sua obra heróica, à sua dedicação, ao seu empenho, à sua coragem. Mas sejam sinceros. Não falem apenas porque "fica bem".
Não falem agora bem se, antes de Junho, falavam mal. Sejam honestos para com vocês próprios.

E, por ter havido uma brilhante Revolução, por termos liberdade de expressão, por terem por tudo isso lutado, posso dizer livremente:

Viva Álvaro Cunhal!

 
At 9:29 da tarde, Blogger Just a blog said...

Pois é verdade tudo aquilo que este grande escritor(os seus livros são do melhor k temos por cá)diz na sua crónica, mas o passado do candidato presidencial que ele apoia não é dos melhores em termos de liberdades.
Mas respeito as opções e ideias de cada um, a isso se chama democracia

 

Enviar um comentário

<< Home